quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Juntas e Ligamentos





Por Ivan Baker


Os meus pensamentos estão voltadas para : O que é uma igreja sem juntas e ligamentos e o que é uma igreja com juntas e ligamentos.
O contraste é tremendo.
sem juntas e ligamentos cada um está livre para andar segundo o seu próprio critério. Ninguém, realmente, recebe ajuda que necessita para toda a sua vida espiritual. Principalmente para entender a palavra de Deus. Cada um entende dentro de seus próprios juízos e de suas limitações pessoais.
O ministério eficaz provem da consulta contínua, do compartilhar,do ouvir as razões, do explicar, do conviver, do relacionar com outra vida.
Uma vida com tudo o que tem, necessidades, virtudes e dons, com toda a sua força espiritual se une a outra. A outra está dotada dos mesmos atributos, mas com ângulos distintos, com profundidades diferentes. O que é forte para um é débil para o outro. O que um entende o outro não entende e ao compartilharem fazem com que flua o rio de vida, de graça, de sabedoria, de entendimento.
Tudo isto é possível através de duas vidas que se unem e fluem juntas.
É como a teoria de Pascal: como podemos fazer para que os tanques que tem níveis diferentes tenham o mesmo nível? Colocamos um cano, bem embaixo, conectando todos os tanques. Então a água busca o seu nível em cada um.
O que não tem recebe o que tem dá e todos ficam nivelados. Por quê? Porque tem uma conexão.
Esta conexão significa estar relacionado, compartilhar juntos. Ter intercâmbio constante. Cada um compartilhando com o outro o que está faltando. Vidas que fluem juntas, vidas conectadas pelo amor de Cristo.
Uma corrente vital e celestial corre através dos membros do corpo. A diferença entre os tanques e as vidas é que Deus não quer nivelar cada um pela metade, ou com um pouco, mas sim quer encher todos os vasos.
Pascal fala de uma conexão, a teoria nos mostra o indispensável para a conexão: "a fonte é Cristo". O que flui em nós é Ele e sua plenitude enche-nos a todos. Ele nos dá graça sobre graça.
Ninguém é completo em si mesmo. Todos somos vulneráveis. Todos somos bons em alguns aspectos e limitados em outros. Temos muitas virtudes e falhas. Acertos e erros. E eu não sou totalmente capaz para entender tudo o que tenho.
Necessito olhar-me através de meu irmão, necessito compartilhar com ele a graça que tenho e a graça que ele tem. O conhecimento que tenho com o conhecimento que ele tem. Os dons que o Senhor concede a mim e os dons que o Senhor concede a ele.
O propósito fundamental é o enriquecimento, o desenvolvimento a maturidade. Eu não falei que nos desenvolvemos se estamos separados. Mas estou dizendo que quando colocamos em relacionamento um membro com outro, então estamos colocando a base sobre a qual eles poderão funcionar. Estabelecemos o corpo de funcionamento.
Os ministérios específicos foram colocados "para"... se estudamos bem a frase que foram colocados para relacionar corretamente os santos, para o serviço dos mesmos.
Quer dizer que relacioná-los é parte da obra dos ministérios específicos. O objetivo é a edificação do corpo de Cristo. Por isso, é impossível edificar o corpo de Jesus sem uni-los através das juntas e ligamentos.
O crescimento vem pela intercomunicação dos membros, pelo fluir da graça que cada membro recebeu e passa para o outro e vice-versa, dando e recebendo, ensinando e sendo ensinado, corrigindo e sendo corrigido, animando e sendo animado, amando e sendo amado, consolando e sendo consolado, entendendo e explicando, recebendo e compartilhando.
Compartilhar: gozo, sabedoria, entendimento, correção, revelação, advertência, domínio próprio, honra, consolo.
A base fundamental para viver no Reino de Deus, que estabeleceu, são os relacionamentos de amor entre os membros que se ajudem mutuamente, segundo a operação própria de cada membro.
Isto é, segundo o dom de cada um, segundo a medida de graça, segundo cada um tem recebido de Deus.
Todo este ministério, toda esta ajuda, toda esta correção, todo este fluir deste rio de amor, nos faz fortes, sábios e santos. Estabelece, orienta, coloca fundamentos, santifica, guarda, impulsiona, ensina e protege.
A razão porque tudo isto acontece é porque nos colocamos aonde Deus nos quer, ou seja, relacionados.
Entendemos o segredo da igreja e nos entregamos com todo o nosso coração a trabalhar naquilo que Deus quer que trabalhemos: como corpo e não como indivíduos. Como fermento santo e não particularizando, cada um, o seu dom.
A base fundamental que Deus nos tem falado é sermos corpo, membros unidos, a fim de fortalecer, crescer amadurecer e sermos aptos para todo o trabalho que Deus nos determine.
A tarefa será feita entre todos, uns com os outros. Ou então não conseguiremos nada.
Quando esforço tem que fazer um que está sozinho para: ganhar alguém, ser santo, lutar contra o diabo. Primeiro tem que fazer entender suas debilidades, provavelmente sem um companheiro dificilmente consiga entendê-las.
Manter-se firme é muito mais fácil se estamos unidos a outro. É difícil se estamos sozinhos separados.
Quão difícil é para o diabo se aproximar de nós com as suas artimanhas e enganos, quando estamos unidos. Dois que estão juntos com Cristo no meio, quão difícil é para o diabo nos rodear. Ele tenta um, outro, mas nós estamos unidos, a sua influência é mínima, pois é anulada pela presença de Cristo e a união entre os dois. Separemo-nos uns dos outros e veremos que o diabo que anda ao derredor irá nos tragar com facilidade. tem o perímetro de cada um.
O Espírito nos ensina corretamente, mas não conseguimos entender, através das juntas e ligamentos, sim, entendemos. Abrimos o coração uns aos outros e o mais sábio, o mais prudente, o mais maduro ajuda o outro.
Nós queremos o Propósito de Deus, o seu Reino, chegar a maturidade e um ajuda ao outro para atingir isto.
Se forem dois, quanto um cai o outro o levanta. Se forem dois e estão com frio podem se aquecer. Ninguém tem toda a inteligência, ou maturidade necessária, pois Deus distribuiu os dons pelo corpo, para que na harmonia do corpo os dons funcionem. Então a minha capacidade será plena em vez de ser relativa.
Somos como um quebra-cabeça que tem que juntar todas as peças. Somos como uma rede unida pelos nós. Se não existirem os nós, não existe rede.
Queremos pescar, mas não estamos unidos. A vara de pescar, a linha e o anzol provêm da nossa comunhão.
Nós somos uma atração para o mundo, quando nos vêem unidos. A imagem de um corpo é muito mais forte para dar testemunho ao mundo, do que um montão de pessoas indo a reuniões buscando cargas espirituais, mas não vê o amor de Cristo sendo derramado nos corações.
Quando uma pessoa vem do mundo e entra em uma congregação que não tem juntas e ligamentos, aonde o corpo não está unido e não existe relacionamento, ajuda amor, serviço, atenção especifica e cuidado. Ela sente frio da falta de comunicação.
Passam a dar-lhe muitas reuniões, muitos discursos. Quase não a ajuda em suas necessidades e quando é por alguém que não está para fazê-lo, pois não tem o conceito do que é a igreja e o que deve fazer com a pessoa. Como ajudá-la? O outro também tem suas debilidades, o que acaba passando são as suas próprias debilidades, pois ela tão pouco foi ajudada nas suas fraquezas.
É muito diferente quando alguém chega a uma igreja que está unida através de juntas e ligamentos, unida em amor, unida através dos laços do Espírito Santo.
Aí ela encontra uma fortaleza, existem braços para sustentá-la. Não é que houve apenas um nascimento, é que ali existe uma mãe.
Não é nascer e ser abandonado, é ser cuidado. Existe o parto, mas também existe pais e mães que cuidam. A família cresce e os filhos crescem em santidade, crescem com vigor espiritual, crescem com a luz de Deus, com crescimento que procede do Senhor.
É indispensável entender bem o que significa ser juntas e ligamentos uns dos outros. O melhor será revisar a Escritura, começamos com 1 Cor 12; depois Ef 4.1-16; Cl 2.19; 2 Tm 2.2; Mt 28. 18-20.
E coloquemo-nos a trabalhar para completar o que falta a igreja. E o que falta? Falta isto: "SER CORPO UNIDO PELOS MEMBROS".Todo o corpo bem ajustado, sem faltar um membro. Um membro que não está unido, nós consideramos fora do corpo.
Todo o corpo bem ajustado. Ajustado aqui significa: relacionado adequadamente. Não significa colocá-lo de qualquer um, mas sim acomodá-lo em espírito para se moverem para o Senhor. Acomodá-los segundo a necessidade de cada um. Acomodá-los segundo suas moradias, para ser funcional.
Aquele que ganha uma vida para o Senhor, terá muito mais facilidade de cuidar desta vida se estiver relacionado com outro. Quando o novo se junta a eles, terá um lugar: mais equilibrado, com mais sabedoria, com mais autoridade e amor. Entra numa dimensão tremenda de igreja, pois entra unido ao corpo como corresponde. Existem mais recursos, mais estabilidade, mais dedicação. Existe mais visão, mais força, mais confiança.
O novo é nutrido em um corpo que é uma família, pois a graça flui de uns para os outros. É o mesmo sentir, a mesma palavra, a mesma orientação.
todo o corpo bem ajustado, não qualquer um com qualquer um. Por isso, aí estão os Pastores para fazerem o correto ordenamento dos santos, para ordenarem a casa.
Para fazer isto temos que estar sendo guiados e ter a estrutura prática. Este dois elementos com a orientação dos que estão liderando na casa do Senhor é o suficiente para unirmos o corpo de Cristo através das juntas e ligamentos que se ajudam, que servem mutuamente.
Não trabalham sozinhos, a sabedoria não provem apenas do relacionamento, mas sim da presença de no meio deles.
Quando o Senhor está cheio de gozo ao ver seus filhos unidos, especificamente e objetivamente, que se amam e ministram a palavra uns aos outros, que se corrigem e se consolam, bebem da palavra corretamente e cuidam-se. Primeiramente para serem santos e justos diante de Deus, para realizarem a obra que o Senhor nos tem dado. Se isto está acontecendo, então recebemos do cabeça que é Cristo, que está no meio destes relacionamentos o crescimento que procede Dele.
Ao agirmos assim recebemos a aprovação de Deus. Recebemos do cabeça o crescimento.
O exemplo da videira nos ajuda a entender isto:"...sem mim nada podeis fazer...". Somos apenas galhos de uma planta, somos ramos da videira. A videira é Cristo. Todo este relacionamento vem de Cristo, e é por ai que flui a vida Dele em nós.
É através destes relacionamentos no corpo que somos tratados. Fica fácil perceber os problemas e tratá-los com ajuda do outro.
Os pastores começam a funcionar melhor, pois o corpo está funcionando e demanda a presença deles, pois o corpo está aberto para recebê-los, existe colaboração. Quando tem algo para fazerem, não tem que fazerem sozinhos, pois existe um corpo trabalhando juntamente com ele. Existe força na comunhão.
Dois é melhor que um, dois entendem melhor que um, dois se corrigem melhor que um. Quão triste é estar lutando a batalha sozinho. Quão vulnerável somos ao diabo, a carne, aos cuidados de nossa mente.
A grande revelação brilhante chega no dia que entendemos que temos que estar unidos e nos unirmos.
Quando a igrejas não está relacionada pelas juntas e ligamentos existe pouca: vida, transformação, crescimento real. Existem muitos problemas seguem por toda a vida, pois não há alguém para vê-los através do Espírito Santo. Está faltando às mãos hábeis. Falta o ministério ungido de cada membro. Falta a presença do Senhor. Falta a constituição real de uma igreja verdadeira.
Deus não pode abençoar os que não lhe obedecem. Assim que devemos ouvir bem o que o Espírito diz e comecemos a entender bem como devemos caminhar juntos.
As humilhações que isto nos impõe, as provas que passamos, os problemas que isto nos causa. Tudo é bom, tudo é para o bem, tudo é para nos ensinar melhor o caminho, tudo é para nos ajudar a sermos mais santos.
Façamos no Nome do Senhor. AMÉM!

terça-feira, 24 de novembro de 2009

O propósito central das Escrituras




Por Suzana Corrêa.


“Tu as inculcarás a teus filhos, e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e ao deitar-te, e ao levantar-te.

Também as atarás como sinal na tua mão, e te serão por frontal entre os olhos.

E as escreverás nos umbrais de tua casa e nas tuas portas.”

(Deuteronômio 6:7-9)



Para começar, gostaria que nesse instante em que parou para ler esse artigo, você pensasse se sua vida hoje faz sentido, se realmente se sente no lugar certo, fazendo a coisa certa!

Pense mais um pouco e tente chegar à conclusão da seguinte pergunta: Quais são as 5 funções mais importantes que você desempenha na vida hoje?


Vivemos no mundo, mas não somos do mundo. Disse Jesus bem perto do momento da sua morte ao expressar uma sincera oração a Deus (Jo.17:15). Jesus se referia a nós quando falava ao Pai para que não nos tirasse desse mundo cruel e maligno, mas que nos livrasse do mal. Ao orar essas palavras, Jesus sabia exatamente o peso que seria para nós continuarmos vivendo aqui na Terra.

Vivemos numa sociedade corrupta, maliciosa, egoísta e apressada. A nossa tendência é ir pelo mesmo caminho ao passo que estamos inseridos nela, mas de acordo com essa oração de Jesus podemos ter a confiança de que estamos sendo dia após dia resguardados do mal.

Estamos sendo guardados da maldade dos homens, do pecado, das tentações, do desespero, da falta de fé, falta de amor e esperança.

Deus é esse que tem guardado os nossos corações e a nossa alma para que estejamos firmes até o fim com nossos olhos no alvo que é Jesus Cristo.

Mas Deus nos deixou uma tarefa descrita em Sua Palavra, algo que irá a cada dia nos auxiliar e nos ensinar a continuar ‘vivendo e sobrevivendo’ nesse mundo.

Essa tarefa serve para nós e para nossa descendência, serve para nós e nossos discípulos, serve para ser absorvida por quem entende que precisa viver na prática da Palavra de Deus.

Em Dt.6:7-9 Deus fala ao Seu povo através de Moisés. Vamos examinar esses três versículos.

Versículos 6 diz: Tu as inculcarás a teus filhos, e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e ao deitar-te, e ao levantar-te.

Inculcar, falar, tanto no caminho, quanto assentado ou deitado...

Essa era a responsabilidade que Deus colocava diante do povo de Israel naquela época para que Sua lei e Seus mandamentos não fossem esquecidos ou perdidos.

Muitos lares e casamentos hoje têm sido destruídos porque não têm sido fundamentados na Palavra de Deus. Precisamos dar valor ao que recebemos de Deus como ordenança e seguir em santidade e amor, e não somente seguir, mas ensinar àqueles a quem o Senhor nos confiou. Nossos filhos tanto os gerados em nós quanto àqueles que são gerados através de nós, filhos espirituais.

Versículo 7 diz: Também as atarás como sinal na tua mão, e te serão por frontal entre os olhos.

Mão fala de obras, daquilo que realizamos, conquistamos, ou seja, tudo o que fizermos deve passar pela permissão de Deus e deve O glorificar.

Não temos como esquecer quando somos casados a nossa aliança, ela está ali, na nossa mão esquerda! Atada em nós ela representa algo de muito valor, e eu até diria algo de um valor inestimável.

Deus pede ao povo que coloque Sua Palavra atada à sua mão, Ele não deixa dúvidas de como isso é importante na vida do ser humano.

“Te serão por frontal entre os olhos”aquilo que os nossos olhos vêem na maioria das vezes é o que dita o nosso comportamento e as nossas decisões. Se vivermos uma vida longe de Deus, sem comunhão com Ele e com Sua Palavra, vamos nos guiar a nós mesmos, cegos guiando cegos. O fim disso tudo é o que temos visto muitas vezes em jornais e noticiários dos quais não vou me referir, pois estão espalhados por toda parte. Se a Palavra de Deus estivesse sendo espalhada com a mesma proporção que as péssimas notícias que vemos e ouvimos, teríamos menos dessas próprias notícias no mundo em que vivemos.

Versículo 9 diz: E as escreverás nos umbrais de tua casa e nas tuas portas.

Ter algo nos umbrais das portas significa ter um sinal diante de Deus, dos homens e de Satanás. Isso se explica no livro de Êxodo no capítulo 12 versículos 22 a 24 que diz:

“Tomai um molho de hissopo, molhai-o no sangue que estiver na bacia e marcai a verga da porta e suas ombreiras com o sangue que estiver na bacia; nenhum de vós saia da porta da sua casa até pela manhã. Porque o Senhor passará a ferir os egípcios; quando vir, porém, o sangue na verga da porta e em ambas as ombreiras, passará o Senhor e não permitirá ao Destruidor que entre em vossas casas, para vos ferir. Guardai, pois, isto por estatuto para vós outros e para vossos filhos, para sempre.”

O sinal que temos que ter diante de todos é o de Santidade ao Senhor, e somente o que produz santidade em nós é a Palavra genuína e vívida do Espírito Santo. Não há como ser diferente sem ter a Presença de Deus.

Uma das diferenças entre o tempo em que o povo de Israel viveu e o tempo em que nós vivemos hoje é que naquela época eles precisavam imolar um animal para marcar suas portas com esse sangue. Nós já imolamos o nosso cordeiro, nós mesmos através dos nossos pecados e delitos, através das nossas maldades e friezas, crucificamos a Cristo. Todavia esse sacrifício se deu uma única vez por toda a Humanidade (Hb.9:26), e hoje nós temos o selo do Seu Espírito em nós; essa marca que nos diferencia do mundo. Temos o amor vivido e praticado uns pelos outros. Essa marca que temos sobre nós é a de um Cristo ressurreto e de Sua santa Palavra escrita em nossos próprios corações.


Podemos até pensar que naquele tempo era até mais fácil, porque a prática eram as leis e sacrifícios, hoje a prática vai muito mais além, a prática é o amor e o viver constante da Palavra de Deus.


Se você no início desse artigo parou para pensar nas 5 mais importantes funções que você desempenha hoje, eu te desafio a repensá-las com base no que aprendemos através da Palavra de Deus!


Só encontramos propósito para viver quando nos encaixamos naquilo em que precisamos realmente viver, que é a vontade de Deus, escrita, expressa, revelada ou até mesmo individual para cada um de nós!

Que Deus abençoe sua vida!

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

PERCEBER AS CIRCUNSTÂNCIAS


ao nosso redor, de onde elas vêm e o seu propósito para as nossas vidas, é vital para o nosso crescimento espiritual. Muitas pessoas lidam com as circunstâncias de uma forma maniqueísta, como se tudo o que é bom e agradável procedesse de Deus, enquanto o que é desconfortável e, aparentemente, mau, sempre viesse do diabo. Ir logo afirmando que isso ou aquilo é de Deus ou do diabo pode ser perigoso, porque podemos estar rotulando como sendo maligno algo que o Senhor está fazendo. E o pior, podemos estar tomando como sendo de Deus algo que é de Satanás. Nós temos que pedir ao Senhor discernimento para percebermos o significado de cada coisa que acontece no nosso dia-a-dia. Eu diria que pessoas morreram antes de cumprir o seu propósito porque não o perceberam; não souberam discernir e lidar apropriadamente com as circunstâncias pelas quais estavam passando. Vamos conhecer um pouco mais sobre quatro situações diferentes que acontecem conosco freqüentemente.
A PROVAÇÃO Ela tem que vir. É necessária. Tiago 1:2,3 diz para nos alegrarmos na provação. As provações vão se manifestar através de aflição ou perseguição. Elas acontecem conosco porque Deus precisa checar a nossa realidade espiritual - o Senhor precisa confirmar a nossa fé. Um exemplo disto é quando ouvimos sobre o amor, atendemos a um apelo e vamos à frente orar para vivermos uma vida de amor. O que acontece em seguida? Começam as provações, com o fim de nos levar a amar. Deus leva a sério a nossa oração. Como resposta ao nosso pedido, Deus pode fazer com que a nossa relação com o nosso chefe ou com um colega de trabalho, ou com o cônjuge, azede. Se este último fica mau humorado, aí oramos, repreendemos os demônios do inferno inteiro, mas de nada adianta. Então, ficamos pensando que tudo o que está acontecendo é porque não estamos orando e jejuando o suficiente, ou porque falta-nos unção. Entramos, então, em crise e as coisas parecem não parar de piorar. O que está acontecendo? Estamos tratando como sendo do diabo, algo que Deus está fazendo. Clamamos: "Senhor ensina-nos, queremos aprender a amar", e Deus leva o pedido a sério e arranja as circunstâncias de tal maneira eficiente, para que entremos na prática do amor. Todas as vezes que ensinamos algo à igreja, em seguida, Deus requer de nós tudo o que falamos - Ele vem para nos checar. Se pregamos sobre paciência, no dia seguinte podemos esperar, pois, com certeza, nossa paciência vai ser checada, duramente. Quando orarmos pedindo algo de Deus, devemos ficar atentos, porque Ele vai agir nas circunstâncias, no meio ambiente. Muitos, depois de orar pedindo fé, passam por uma tribulação tremenda. Há irmãos que pedem fé e ficam esperando um anjo maravilhoso vir com uma vara e estendê-la, tocando-lhes, para, instantaneamente, se levantarem com uma fé monumental. Sinto muito, mas este anjo não virá. Sabe o que surgirá? Uma montanha enorme! Então brigam com Deus dizendo: “ Pedimos fé e o Senhor nos manda uma montanha?” Entretanto, a fé virá na hora em que aprendermos a enfrentar a situação e a transpor a montanha. Esse é o modo de Deus agir. Por que Tiago nos diz para ficarmos alegres? É porque depois da provação, quando formos aprovados, nossa fé será aumentada, nos tornaremos muito mais firmes que antes, seremos instrumentos muito mais úteis nas mãos do Senhor. As provações também são chamadas de pressão, pois realmente nos pressionam. A pressão é fogo e vem para checar a nossa realidade espiritual - aquilo que de fato somos e que fica oculto no dia bom, mas que se manifesta sob pressão. Nossa tendência é justificar as pessoas que se desculpam do que dizem e fazem na hora da pressão. Muitos dizem: "Ah! Fulano, me perdoa; eu estava com a cabeça quente naquela hora". Nós relevamos, mas com Deus é diferente: Ele fica atento ao que falamos ou fazemos na hora da provação. A nossa resposta neste momento é fundamental. Nos momentos difíceis, em que nada parece dar certo, devemos levantar a cabeça e fazer uma confissão como a de Habacuque - mesmo que a vide não produza frutos, ainda que não haja gado na pastagem, não tenhamos dinheiro na conta bancária, ainda assim, exaltaremos e glorificaremos o nome do Senhor. Podemos não sentir nada, vai parecer que a nossa oração não passou do teto, mas será esta oração que estremecerá as bases do inferno, pois foi baseada em fé. Deus quer que aprendamos a caminhar em perseverança, a não olhar para as circunstâncias, a não andar com base na empolgação ou na vontade humana, mas confiados exclusivamente nEle e na Sua Palavra. Todos os homens da Bíblia passaram por provações. Se queremos frutificar para o Senhor, ser alimento na vida de muita gente, ser bênção na vida dos outros, então, precisamos ser provados e aprovados. José do Egito foi provado por cerca de 13 anos de testes em sua vida até chegar ao trono. Moisés, por 40 anos, foi provado por Deus, no deserto de Midiã. Davi foi ungido rei aos 17 anos, mas só se assentou no trono 20 anos depois. Se queremos ser aprovados por Deus, então devemos responder de forma adequada a Ele. Por que tantos não crescem? Porque ouvem, ouvem, ouvem, mas não respondem ao Senhor corretamente. Qual a maneira de respondermos a Deus em meio à provação? Simplesmente perseverando em fé e crendo, apesar das circunstâncias.
A DISCIPLINA DE DEUSMas, o que acontece quando não somos aprovados na provação? Aí vem a segunda circunstância: a disciplina de Deus. Muitos não se lembram quando Deus os disciplinou pela última vez, porque nós, crentes modernos, banimos esta palavra do nosso vocabulário - tudo é demônio, hoje em dia. Hebreus 12:4 fala que Deus disciplina a todos os seus filhos. Não há nenhum filho que não seja disciplinado. O que diferencia a disciplina da provação? A disciplina do Senhor envolve, quase sempre, vergonha e vexame. Por exemplo, um irmão insiste no pecado da inveja; Deus então vem para discipliná-lo e expõe a sua inveja. Se não mudarmos através da provação, o Senhor vai expor o pecado; aquilo que fazemos em secreto, Deus vai colocar no telhado. Alguns pensam que Deus nunca faria isto, mas a Bíblia está cheia de exemplos de exposição de pecados ocultos. Segundo os estudiosos, Davi escondeu o seu pecado - adulterar e mandar matar Urias - por cerca de oito meses. Deus mandou o profeta dizer-lhe que todo o Israel ficaria sabendo do que fora feito. Há quase três mil anos que todos, em todas as épocas, sabem do pecado de Davi. Que dura correção! Se persistirmos no erro, Deus vai ter que expor a nossa falha. A melhor maneira de respondermos a Deus, nesta circunstância, é humilhando-nos e confessando, e nunca tentando remendar a situação. A disciplina vem para tratar com o pecado. Lembram-se de Josué e do povo, que haviam derrotado a temível Jericó e, em seguida, foram, surpreendentemente, derrotados em Ai? O Senhor permitiu o fracasso porque Acã havia pecado e escondido sua falha. Deus permite derrota, fracasso e situações de fiasco para expor o pecado não corrigido adequadamente.
SEMEADURA E CEIFASemeadura e ceifa não têm nada a ver com Deus e nem com o diabo. É algo que nós mesmo fazemos. "...aquilo que o homem semear, isso também ceifará". Nisto não há acepção de pessoas - pode ser crente, descrente, culto, ignorante, mau, bom, homem, mulher, negro, branco, pobre ou rico. O que nós plantarmos, certamente colheremos. O grande problema é que muitos de nós nem lembramos mais quando começamos a colher aquilo que plantamos durante anos em nossa vida. Quantas mulheres, anos a fio, têm semeado maridos brutos! Agora estão colhendo brutalidade do cônjuge. Quantos não têm semeado problemas físicos? Nosso estilo de vida sedentário e alimentação desregulada são semeaduras. Estamos semeando - vamos colher adiante. Muitos dizem conhecer gente que semeou a vida toda e não colheu. Não nos deixemos enganar por aparências - a Palavra de Deus não mente, podemos ter certeza que todos vão colher, nem que seja lá no céu. Outros dizem conviver com tantos ímpios que erram, pecam e, no entanto, têm uma vida boa. Não olhemos para o que parece ser, mas para a Palavra de Deus - todos vão colher, mais cedo ou mais tarde, o que plantarem; seja amor, serviço e dedicação, seja ódio, sejam coisas ruins. Os que plantam, colhem algo semelhante ao que plantaram - jamais colheremos laranja se plantarmos uva. Nem nunca colheremos a mesma quantidade que plantarmos, porém muito mais; e também nunca colheremos na hora exata em que plantarmos, mas, certamente colheremos. Avaliemos bem se algumas coisas que temos hoje não são semeaduras que fizemos. Devemos avaliar se o nosso casamento não é a colheita de muitas coisas que plantamos. Mas o que fazer agora, quando muitas coisas já foram plantadas? Na provação, basta responder a Deus e crer; na disciplina, basta nos humilharmos e arrepender, mas o que fazer na semeadura e na ceifa? Só há uma coisa a fazer: clamar por misericórdia e pedir que o Senhor transforme a maldição em bênção. Deus pode fazer isto? Claro que pode! Romanos 8:28 diz que "todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus". Alguns estudiosos dizem que a melhor tradução seria: "Deus faz com que todas as coisas cooperem para o bem daqueles que O amam". Acredito que esta, de fato, seja a melhor tradução, pois, na verdade, é Deus quem faz com que uma aparente maldição se transforme em bênção.OS ATAQUES DO DIABOExiste provação, disciplina, semeadura e ceifa, mas também há ataques do diabo. Não temos que suportá-los e nem aceitá-los. O que diferencia os ataques do diabo da provação? Fácil: o que é de Deus sempre vai gerar vida, mas o que é do diabo virá para escravizar e para oprimir. Não temos que aceitar e muito menos nos conformar com os ataques malignos. Muitos alegam que não sabem discernir o que é de Deus e o que é do diabo em suas vidas. A ordem bíblica, com relação ao diabo, é que devemos resistir-lhe. Há uma regrinha muito simples: depois que orarmos, repreendermos, recebermos oração dos irmãos e crermos, se nada acontecer, podemos ter certeza que não é opressão de demônio, porque ele não tem todo esse poder que alguns atribuem a ele, definitivamente. Ele tem que sair quando nós ordenamos! Se a luta não cessa quando o repreendemos, é porque estamos atribuindo ao inimigo algo que vem de Deus.
CONCLUSÃODevemos aprender a discernir se o que estamos passando é provação, disciplina, conseqüência do que plantamos ou ataque do diabo. Depois de discernir, devemos responder e administrar adequadamente as circunstâncias, conseguindo, assim, a aprovação do Senhor, o crescimento, as bênçãos e a vitória!