quarta-feira, 28 de julho de 2010

Vídeo Perseguição Cristã

videoDa vergonha pensar que temos em muitos países liberdade para pregar o evangelho e não aproveitamos. Muitos até negam a Cristo por dinheiro, fama e vaidade. Esse vídeo é confrontador e nos faz pensar sobre nossa vivência cristã.

terça-feira, 27 de julho de 2010

Escândalos

Escândalos…é inevitável que venham...

Eu acredito que esta palavra vai trazer um entendimento novo para o seu coração e o seu comportamento em relação aos pecadores será mudado.
Em Lucas 17:1-10, o nosso Senhor Jesus disse aos seus discípulos: “É inevitável que venham escândalos, mas ai do homem pelo qual eles vêm! Melhor fora que se lhe pendurasse ao pescoço uma pedra de moinho, e fosse atirado no mar, do que fazer tropeçar a um destes pequeninos. Acautelai-vo. Se teu irmão pecar contra ti, repreende-o se ele se arrepender, perdoa-lhe. Se, por sete vezes no dia, pecar contra ti e, sete vezes, vier ter contigo, dizendo: Estou arrependido, perdoa-lhe. Então, disseram os apóstolos ao Senhor: Aumenta-nos a fé Respondeu-lhes o Senhor: Se tiverdes fé como um grão de mostarda, direis a esta amoreira: Arranca-te e transplanta-te no mar e ela vos obedecerá. Qual de vós, tendo um servo ocupado na lavoura ou em guardar o gado, lhe dirá quando ele voltar do campo: Vem já e põe-te à mesa? E que, antes, não lhe diga: Prepara-me a ceia, cinge-te e serve-me, enquanto eu como e bebo depois, comerás tu e beberás? Porventura, terá de agradecer ao servo porque este fez o que lhe havia ordenado? Assim também vós, depois de haverdes feito quanto vos foi ordenado, direis: Somos servos inúteis, porque fizemos apenas o que devíamos fazer “.
Quando lemos este texto: “é inevitável que venham escândalos”, geralmente lemos “escândalos” e imaginamos, interpretamos “pecados”. Mas a questão “pecado” aqui não é o objetivo central do ensinamento do Mestre. O Senhor Jesus não está nos ensinando a nos comportar em face ao pecado e, sim, em face ao escândalo. Em outros lugares nas Escrituras somos ensinados a evitar o pecado ou a tratar com o pecado e com o pecador. Mas, aqui Ele está nos ensinando a nos comportar em relação aos escândalos, pois, é inevitável que os mesmos aconteçam… mas, ai daquele ou daquela por meio de quem eles vierem.
A razão pela qual o escândalo é inevitável é porque vivemos num mundo que jaz no maligno, cheio de pessoas falhas, e essas pessoas aceitam a Jesus, se tornam nossos irmãos e irmãs em Cristo e, eventualmente cometem erros. O bom seria se os erros não acontecessem, mas, eles acontecem, por isso necessitamos saber como nos comportar diante dos erros dos outros. A questão é que “estamos em obras”. Até a manifestação do Senhor para buscar sua igreja a obra continua e muitas coisas erradas ainda vão acontecer e nós precisamos saber como reagir quando ouvirmos a notícia de um pecado aqui, ali ou acolá.
A questão simples é: que fazer quando ficamos escandalizados por ver ou ouvir alguma coisa errada, fora dos padrões bíblicos? Nós vamos levar o escândalo adiante ou vamos praticar o que o Senhor Jesus está nos ensinando aqui neste contexto biblico?
Levar o escândalo adiante implica em começar a conta-lo para as pessoas: “Você viu?” “ Você está sabendo da última?” “Eu fico até constrangido em falar nisso, mas, você já leu o jornal hoje?” “Menina, eu nem te conto!” e assim por diante. E desse modo o escândalo começa a ser transportado de pessoa para pessoa e isso vai enfraquecendo a fé dos pequeninos.
Mas, se ao invés disso praticarmos Lucas 17:1-10, quando ficarmos escandalizados por quaisquer motivos a nossa postura será de misericórdia e perdão para com o irmão pecador. Se ao levar o escândalo enfraquecemos os pequeninos eu creio que ao perdoar o pecador iremos fortalecer os pequeninos. Os pequeninos verão quão maduro nós somos no Senhor quando ao ler no jornal que o esse ou aquele irmão esta sendo investigado pela policia, ou teve outro problema de qualquer ordem, os pequeninos ficarão fortalecidos no Senhor ao ouvir você dizer: “Ele está errado. O Senhor vai tratar com ele trazendo-o de volta a santidade. Eu estou pronto a perdoa-lo tão logo ele se arrependa, etc “. Ao ouvir esta postura bíblica de sua parte o novo convertido vai aprender a perdoar também.
Mas, irmão A. Cirilo, eu fiquei escandalizado com tudo aquilo, eu não posso evitar. Ok, o nosso Senhor mesmo disse: “É inevitável ” Ninguém consegue evitar ficar escandalizado, nem mesmo você.
Deixar de ficar escandalizado significa concordância, cumplicidade com o pecado. O Senhor não está nos ensinando a ser conivente, cúmplices do pecado dos outros, ele está nos ensinando a fazer o que Ele mesmo fez, faz e fará caso o pecador se arrependa::: perdoar. Isso não é lindo? Sendo assim, se seu irmão pecar contra ti sete vezes num mesmo dia, porem, declarar que está arrependido, PERDOAI, PARA QUE SEJAIS FILHOS DO VOSSO PAI QUE ESTA NO CÉU. Deus precisa de um instrumento humano para concordar com o perdão dEle. Seja você mesmo instrumento nas mãos de Deus para liberar uma palavra profética de perdão sobre a vida do seu irmão.
“Pai nosso que estás nos céus, santificado seja o teu nome venha o teu reino faça-se a tua vontade, assim na terra como no céu o pão nosso de cada dia dá-nos hoje E PERDOA-NOS AS NOSSAS DÍVIDAS, ASSIM COMO NÓS TEMOS PERDOADO AOS NOSSOS DEVEDORES e não nos deixes cair em tentação (a tentação de não perdoar) mas livra-nos do mal [pois teu é o reino, o poder e a glória para sempre Amém!]“, porque, se perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai celeste vos perdoará SE, PORÉM, NÃO PERDOARDES AOS HOMENS [AS SUAS OFENSAS], TAMPOUCO VOSSO PAI VOS PERDOARÁ AS VOSSAS OFENSAS (Mateus 6: 9).
Geralmente, quando pensamos em adoração, louvor, pensamos em música. Mas, adoração e louvor vão além da música, adoração é um estado de relacionamento íntimo e obediente em relação ao Criador, é um sentimento de rendição do nosso coração para com Deus e seus mandamentos e conseqüentemente um comportamento perdoador para com as pessoas que nos rodeiam, pois, se alguém diz que ama a Deus deve também amar o seu irmão.
Louvor e adoração são tão ligados que quase não dá para saber onde um começa e outro termina ou se os dois estão acontecendo ao mesmo tempo. Uma coisa devemos guardar: louvor está relacionado ao que falamos a Deus e a respeito dEle (elogios, etc). A adoração está relacionada ao que fazemos a Deus ou por causa de Deus (atitudes de obediência). A adoração é fruto do nosso compromisso de servir a Deus com integridade e obediência aos seus mandamentos. O louvor é fruto dos lábios de pessoas que estão vivendo esse compromisso. O significado básico da palavra louvor é “elogio” e o da adoração é “atitude, principalmente aquele que exige sacrifício”. Existem elogios verdadeiros e falsos existem atitudes verdadeiras e outras que são apenas imitação daquilo que vemos os outros fazerem . Algo marcante no nosso relacionamento com Deus é que ele precisa ser pessoal, sacrificial, simples, espontâneo e em verdade. Ele tem que partir da mais pura realidade do nosso próprio coração e forçar a linha do nosso perímetro de conforto, do nosso limite.
Não podemos nos aproximar do nosso Deus com elogios desprovidos de conteúdo verdadeiro, “da boca para fora”, como profetizou Isaías: “visto que esse povo se aproxima de mim com os lábios mas o coração está longe de mim…Em vão me adoram proferindo palavras que aprenderam como máquinas, continuarei a fazer maravilhas mas eles não poderão vê-las.” (Isaías 29 9-14 ).
Esse texto das Escrituras nos fala a respeito de duas coisas: As nossas palavras de elogio a Deus precisam expressar a exatidão do nosso coração, ou a nossa atitude de adoração será vã, caso ela seja apenas a repetição de atos mecanicamente aprendidos. Segundo esse texto em Isaías 29, adoração e louvor artificial deixa a pessoa sem condição de compreender a palavra de Deus e de ver as maravilhas que ele tem operado.
Mas, você pode está se perguntando: “porque ele mudou de assunto? estava falando sobre perdão e de repente começou a falar sobre louvor e adoração?” Não, eu não mudei de assunto. Na verdade quando admitimos que não estamos sendo misericordiosos para com os pecadores arrependidos também estamos falando sobre louvor. Admitir que estamos pecando é uma forma de louvar a Deus. Quanto à adoração, estamos falando sobre a prática do perdão, da prática de um mandamento do Senhor. Adoração é isso: uma confiança reverente a Deus. Confiança bastante para fazer o que ele ordena e reverência o bastante para temer não obedece-lo.
Adoração é prova de amor a Deus e nosso o Senhor Jesus disse: “Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda, esse é o que me ama e aquele que me ama será amado por meu Pai, e eu também o amarei e me manifestarei a ele “ (João 14 21). Sobre o louvor, quando Deus revelou a Josué o pecado de Aça, Josué disse: “Filho meu, dá glória ao Senhor, Deus de Israel, e a ele rende louvores e declara-me, agora, o que fizeste não mo ocultes, Respondeu Aça a Josué e disse: Verdadeiramente, pequei contra o Senhor, Deus de Israel”, e fiz assim e assim (ai ele começa a confessar o pecado)
Bem, acho que já é suficiente para comunicar esse princípio. Deus está procurando pessoas que têm coragem de andar segundo Sua santa palavra. Oremos uns pelos outros para que possamos ser vitoriosos quanto a isso, a cada dia. Nós não seremos aqueles que levarão o escândalo adiante, somos aqueles que levaremos perdão aos pecadores arrependidos.
Escrevi este texto a algum tempo, mas, recentemente visitando uma outra nação, numa conversa trivial acabei comentando a respeito de um irmão que havia caído em pecado. Confesso a você que fiquei mal depois daquilo. Fiquei me perguntando: Cirilo, porque você fez aquilo, cara… enfim, não basta conhecer a verdade. Temos que lutar contra a nossa natureza ruim para pratica-la. Nossa natureza deseja condenar… Deus deseja perdoar nos usando como instrumento de perdão. A Bíblia nos ensina a falar primeiramente com o pecador e não sobre o pecador. O Senhor Jesus nos disse: “vá ao teu irmão… se ele te ouvir, ganhaste o teu irmão. Se ele não ouvir devemos seguir toda a orientação do Senhor em Mateus 18.
Muita vezes nos recusamos a perdoar pessoas que não pecaram contra nós e que até já foram perdoadas por Deus e pelas pessoas contra as quais pecou. E nós, que não temos nada haver com a coisa ficamos de “birra”.
Você e eu… vamos fazer um trato??? vamos perdoar???? ok!
Fica com Deus. Se você porventura pecou, receba o perdão de Deus e o meu também. Você não merece, mas, pela Sua graça… SEJA PERDOADO.
P.S.: se você está com dificuldade de receber o perdão de Deus vai aí uma dica preciosa: “porque, se perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai celeste vos perdoará SE, PORÉM, NÃO PERDOARDES AOS HOMENS [AS SUAS OFENSAS], TAMPOUCO VOSSO PAI VOS PERDOARÁ AS VOSSAS OFENSAS” (Mateus 6: 9).
Antônio Cirilo

terça-feira, 20 de julho de 2010

O que é um Discípulo

Antes de falarmos sobre o que é um discípulo, vamos observar esta ordem clara que o Senhor Jesus nos deu:
"E, aproximando-se Jesus, falou-lhes, dizendo: Foi-me dada toda a autoridade no céu e na terra. Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-os a observar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos." Mt 28:18-20
Esta foi a última palavra de Jesus aos seus discípulos. Até parece que este é o ponto mais alto do Novo Testamento. É como se o senhor estivesse todo o tempo preparando o terreno para dar esta palavra. Depois de fazer tudo o que o Pai lhe encomendara, finalmente o Senhor podia dar esta ordem:
"...Fazei discípulos de todas as nações...".
Podemos negligenciar este mandamento? Ou podemos fazê-lo de qualquer jeito, ou da maneira que acharmos melhor? NÃO. Devemos Buscar com toda diligência e procurar entender bem. O Senhor ressuscitado nos deu uma ordem e devemos cumpri-la a risca.
O Senhor não nos mandou juntar gente para fazer reuniões. As reuniões são importantes, assim como a cura dos enfermos. Os sermões tem o seu lugar, e certamente devemos cantar e louvar. Contudo o fundamental é fazer discípulos. A não ser que isto seja bem entendido, todas as outras coisas importantes serão a casca de uma fruta oca. Serão um amontoado de atividades sem propósito e sem valor eterno.
O que é um discípulo?
Comecemos com uma declaração objetiva:
"Um discípulo é alguém que crê em tudo que Cristo disse e faz tudo que Cristo manda."
É importante entender que no contexto do Novo Testamento não existe ninguém que seja convertido e não seja um discípulo. Convertido, salvo, discípulo, são todos termos que se referem a uma mesma pessoa, sendo que, cada termo salienta um aspecto diferente da vida ou experiência desta pessoa:
·Salvo: o que foi liberto da condenação e do poder do pecado.·Convertido: que passou por uma transformação de mente.·Discípulo: seguidor, praticante dos ensinos do mestre, submisso.·Crente: que crê
Cada um desses termos tem um significado diferente, mas todos eles são aplicados a uma mesma pessoa. Se não entendermos isso, viveremos em confusão. Porque ?
Porque é comum encontrarmos pessoas que se dizem convertidas, crêem sinceramente que são salvas, mas que, contraditóriamente a isto, dizem que seu alvo é serem submissas a Cristo. O seu desejo é "um dia" serem consagradas e totalmente entregues ao Senhor.
Ora isso é uma grande confusão, pois como alguém é convertido se não se entregou total e incondicionalmente s Jesus Cristo (Mt7:21), renunciando a tudo quanto tem (Lc14:33) e a própria vida (Lc14:26)?
Sabemos também, e isso afirmamos com tristeza, que um espírito de falsa profecia semelhante ao que havia em Israel na época de Jeremias, tem enganado a muitos. Naqueles dias quando o povo estava sob a condenação de Deus por causa da sua rebelião, falsos profetas diziam que havia paz com Deus, levando o povo ao engano. Este engano impedia o povo de experimentar um verdadeiro arrependimento.
"Também se ocupam em curar superficialmente a ferida do meu povo, dizendo: Paz, paz; quando não há paz." Jr 6:14
"Assim diz o Senhor dos exércitos: Não deis ouvidos as palavras dos profetas, que vos profetizam a vós, ensinando-vos vaidades; falam da visão do seu coração, não da boca do Senhor. Dizem continuamente aos que desprezam a palavra do Senhor: Paz tereis; e a todo o que anda na teimosia do seu coração, dizem: Não virá mal sobre vós." Jr 23:16-17
Nestes dias Deus está restaurando o entendimento do evangelho do reino, para que se cumpra a profecia de Ml 3:18 "Então vereis outra vez a diferença entre o justo e o ímpio; entre o que serve a Deus, e o que o não serve".
Aquele que pretende ser um convertido sem ser um discípulo, não encontrou tal pretensão nas escrituras.
Um convertido é mais que um crente. È um discípulo.
Podemos nos referir a uma pessoa que está no Reino de Deus usando qualquer um dos termos que aparecem nas escrituras, mas devemos nos acostumar a usar o termo discípulo, porque:
É o termo mais abrangente. Expressa com mais exatidão a realidade da vida de alguém que pertence ao Reino de Deus.
É o termo que Jesus, os apóstolos e os primeiros irmãos usaram. O termo discípulo aparece 260 vezes no Novo Testamento. O terno crente aparece 15 vezes.
Um Discípulo é algém qua aprende, vive o que aprende e o comunica a outros.

Extraido de http://www.odiscipulo.com/php/pagina.php?doc=fundamentos/discipulo